Vender empresa ou Passar o Ponto Comercial: mas afinal, qual a diferença?

Vender empresa e Passar o Ponto Comercial são termos que podem parecer a mesma coisa para muita gente, mas possuem diferenças importantes. Essa confusão pode atrapalhar sua negociação. Entenda a diferença e negocie corretamente!

A venda de empresa tem se tornado cada vez mais comum no mercado brasileiro, afinal, as vantagens de se adquirir uma empresa pronta, toda estruturada e com uma clientela fiel são enormes. No entanto, muitos empresários não sabem qual é a diferença entre passar o ponto e vender uma empresa e acabam considerando que são a mesma coisa.

Entendendo a diferença

Apesar de muitos empresários se confundirem com o significado real desses dois termos, eles possuem diferenças importantes. A principal delas é o objetivo da transação, ou seja, a definição do que está sendo negociado.

Vender a Empresa

Quando um empresário quer vender sua empresa, ele pode optar por negociar toda sua estrutura (os ativos, os contratos que foram firmados, a carteira de clientes e inclusive a marca). Não é difícil encontrar investidores que compram empresas prontas e dão continuidade ao negócio. As vantagens são várias: negócio já consolidado, com uma clientela fixa, com um histórico de ações e valores que podem nortear novos rumos, tornando a nova empresa (sob a nova direção) mais competitiva, lucrativa, melhorando o negócio de uma forma geral.

Ainda no objetivo de se vender a empresa, existe a possibilidade de se negociar apenas uma parte dela. Situação que pode ocorrer, por exemplo, no caso de um desentendimento entre os sócios. Nesse caso, busca-se um comprador para a parte que decidiu deixar o negócio, respeitando-se todos os direitos contratuais da divisão.

Seja na venda completa ou parcial, vender a empresa é um processo um pouco mais lento em relação ao ato de passar o ponto comercial. É preciso encontrar interessados no negócio e estes vão querer conhecer os números financeiros da empresa, relatórios de desempenho, projeções, análise do mercado, situação econômica vigente, e diversos outros fatores. O valor de venda se dá com base na análise desses dados, além de valores mais conceituais, como por exemplo, o valor da marca.

Passar o Ponto (Comercial)

Uma outra finalidade de negociação é o ato conhecido como PASSAR O PONTO. Nesse caso, o objetivo a ser negociado é o ponto comercial. A negociação se dá mais no âmbito imobiliário. Podemos ilustrar de seguinte forma:

Uma empresária possui um salão de beleza localizado em uma avenida importante do seu bairro há 7 anos. O salão está estabelecido em um imóvel alugado, com contrato em vigência, restando 3 anos de contrato.

Imagine que ela receba uma proposta para se mudar e continuar seu negócio em outro estado. Com isso ela tem 3 pontos a observar:

  1. Questão imobiliária: ela ainda tem 3 anos de contrato. interromper esse contrato pode acarretar em multa.
  2. Benfeitorias realizadas: ela realizou diversas benfeitorias que serão deixadas para trás (balcões fixos, hidráulica de lavatórios, etc).
  3. Atratividade do Ponto: durante vários anos no mesmo local, a sua empresa contribuiu para que aquele local se tornasse bem conhecido para um determinado público. Um novo negócio que se estabeleça ali irá se beneficiar disso.

Nesse contexto, essa empresária não quer vender sua empresa, o que ela precisa é PASSAR O PONTO (COMERCIAL). Ela precisa encontrar um interessado que:

  1. Aceite assumir o contrato atual, resolvendo sua questão imobiliária.
  2. Aceite pagar uma compensação financeira pelas benfeitorias realizadas.
  3. Aceite pagar uma compensação financeira pela atratividade do ponto, que o seu negócio ajudou construir.

O valor de venda, nesse caso, é também é chamado de ‘luvas’, se dá ao considerar as benfeitorias realizadas no local e pela atratividade do ponto. Esse é o cenário básico do ato de passar o ponto: o foco principal da negociação é imobiliário e não no negócio estabelecido no local. O interessado no ponto comercial pode estabelecer no local um negócio completamente diferente do anterior. No nosso exemplo, o salão de beleza pode dar lugar a uma pizzaria.

Ainda no exemplo da empresária do salão de beleza, vamos imaginar outro cenário: além de passar o ponto comercial, ela também optasse por vender a empresa. Ainda assim, as duas negociações seguiriam de formas distintas – como pontos diferentes a serem observados.

Os pontos observados na venda de um ponto comercial são: localização, valor do aluguel, tipo do ponto (sala comercial, loja em shopping, galpão, sobre-loja, etc), valor do iptu, tempo restante de contrato, benfeitorias (balcões, instalações elétricas ou hidráulica, estado de conservação, etc).

Feita a distinção entre as duas finalidades de negociação, podemos afirmar: quem quer passar o ponto não quer, necessariamente, vender a empresa. São duas situações diferentes, que podem ou não ocorrer na mesma negociação.

Por esse motivo, o Passando o Ponto oferece as duas opções de anúncio: VENDER EMPRESA ou PASSAR O PONTO COMERCIAL.

Deixe seu comentário

Atenção : Os comentários abaixo são de inteira responsabilidade de seus respectivos autores e não representam, necessariamente, a opinião do Passando o Ponto.